quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Humanos não tem isto (para sempre, não)


segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Mentira pra'gente ver

A presidentE Dilma disse que com o aumento de setenta reais no bolsa família, os últimos brasileiros que estão na extrema pobreza, saem dessa situação.

1 - Acredito que setenta reais não fazem você mudar de classe social. Talvez dê para comprar dez quilos de peixe por mês.
2 - Ensinar a pescar, seria melhor do que dar o peixe.
3 - Ela (a presidente) e os outros políticos de profissão não vivem no Brasil ou então não andam pelas mesmas ruas que eu ando... Sempre vejo pessoas dormindo embaixo de marquises e catando no lixo o que comer.
4 - Fazer a grande massa crer no que a mídia transmite, talvez possa mesmo reeleger, mas não muda a realidade.

As pessoas ocupam o tempo tentando sobreviver, sem tempo para pensar, são conduzidos como gados. Vamos torcer para que a mídia estrangeira, estando aqui, para os eventos vindouros, possam mostrar a verdadeira situação, uma política de aparências e os inocentes, conduzidos a acreditar em mentiras como desconto de conta de energia.


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Ladrão bom, é ladrão morto.

Perfil
http://jc3.uol.com.br/blogs/repositorio/foto%20renan.jpg 

NOME Renan Calheiros (FDP)

IDADE 57 anos (apenas isso se agíssemos como os italianos)

PROFISSÃO/CARGO Senador (Ladrão), ministro da inJustiça no governo FHC

PARTIDO PorMaisDinheironoBolso


Favas contadas – Contra a vontade da extensa maioria dos brasileiros, talvez da totalidade, o senador Renan Calheiros, do PMDB de Alagoas, foi eleito para presidir o Senado nos próximos dois anos. Com 56 votos, Calheiros derrotou o senador Pedro Taques (PDT-MT), que teve 18 votos. Durante a apuração foram contabilizados dois votos em branco e dois votos nulos.

Em 2007, para não ser cassado, Renan Calheiros renunciou à presidência do Senado, na esteira do escândalo de pagamentos de contas de sua então amante, a jornalista Mônica Veloso, feitos por um conhecido lobista de Brasília. 

Para justificar os pagamentos, inclusive da filha que teve fora do casamento, Renan apresentou notas fiscais frias de venda de gado, o que o livrou da cassação, mas não impediu o Ministério Público Federal de investigá-lo e concluir pelo oferecimento de denúncia contra o parlamentar alagoano, enviada ao Supremo Tribunal Federal há quase uma semana.

Em seu discurso, que antecedeu o balanço feito pelo senador José Sarney de sua gestão à frente do Senado Federal (o escândalo dos malfadados dos Atos Secretos ficou de fora do discurso), Renan sequer tocou no assunto. Apenas se limitou a citar a Lei da Ficha Limpa e disse que a ética é o fim, não o meio.
Renan Calheiros, que não é adepto do harakiri político, só poderia sair em sua própria defesa, mesmo que usando palavrório subterfúgio, mas o Brasil não pode aceitar a inversão de valores proposta pelo novo presidente do Senado, uma vez que a falta de ética é o fim e tem sido o meio de muitos alarifes engordarem seus respectivos patrimônios.

A eleição de Renan Calheiros para a presidência do Senado e, por consequência do Congresso Nacional, é um atentado contra o Estado Democrático de Direito, não sem antes ser um bofete na cara de uma sociedade que trabalha cinco meses para pagar impostos e vê o suado dinheiro sendo mal empregado e financiando conchavos político-eleitoreiros que são verdadeiros crimes de lesa pátria. 

A classe política sai dessa eleição sinistra ainda mais desgastada e pagará um preço caro nas urnas de 2014. Desacredito como instituição, o Congresso vive um dos seus piores momentos, período esse turbinado pelos seguidos escândalos de corrupção e, acima de tudo, pelo vexatório despreparo da maioria dos seus integrantes. Jamais, em tempo algum, o parlamento brasileiro foi tão mal representado, o que resulta de uma receita que combina a conivência com o desmando e o despreparo oportunista que exalam seus operadores.
Corroído de maneira acintosa pela corrupção nos últimos dez anos, que só aconteceu com a aquiescência de Lula, o País inaugura um novo e negro capítulo de sua história, que é a continuidade macabra do que muitos já conhecem. 

Para garantir a reeleição da presidente Dilma Rousseff, o PMDB, que comandará as duas Casas congressuais no próximo biênio, promoverá o maior e mais acintoso escambo político da recente história nacional. Pobre Brasil!

Mostre sua indignação assinando a Petição de Impeachment do Presidente do Senado Renan Calheiros, que serã entregua ao Senado Federal.

http://www.avaaz.org/po/petition/Impeachment_do_Presidente_do_Senado_Renan_Calheiros/?tGfdWdb

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Temos muito a aprender

Olho em volta e percebo que civilização é um conceito bem diferente da prática. A civilidade nos leva a ser pacientes, gentis, solidários e atenciosos. Mas não se vê muito isso, entre os ditos civilizados. Os "animais" sem razão nunca poderiam ser entendidos como civis e não deveriamos esperar deles, nenhuma lição, que os racionais devessem aprender. Mas, talvez eles tenham mais a ensinar do que podemos perceber.

Download