quinta-feira, 24 de junho de 2010

A propósito de Suape

Tem-se firmado como tradição do estilo recente de promover o desenvolvimento econômico – que se entende como aumento da renda per capita -, o lançamento pelo governo de grandes projetos de sua iniciativa, que as autoridades presumem consultar o interesse público e julgam satisfazer as aspirações da população, sem que uma consulta à última seja efetivamente realizada. Esta é uma regra quase universalmente seguida, cuja validade não tem sido – a não ser em casos excepcionais – posta em dúvida. Isto não impede, todavia, que pessoas interessadas e grupos de indivíduos manifestem sua opinião a respeito de tais projetos e empreendimentos, reagindo contra a pretensão de transformar em verdade indiscutível a tradição autocrática de não fazer a confecção de grandes projetos ser precedida de consulta às aspirações da coletividade. Estas considerações vêm a propósito do intento do governo de Pernambuco de implantar a todo custo, em sítio privilegiado do estado, um complexo industrial portuário, o Projeto de Suape, cuja elaboração tem avançado no sentido da realização da obra sem que atenção devida seja dada às vozes que manifestam oposição à iniciativa.

Pois bem, parece oportuno tornar público agora que a idéia de realização do complexo industrial portuário de Suape não é aceita pacificamente por todos os cidadãos que, além de pagar impostos, se sentem responsáveis pela elucidação de aspectos de interesse vital para a vida da população pernambucana. E não se trata, por outro lado, de mera reação suscitada por interesses feridos, a desses cidadãos preocupados com o bem-estar comum. O que há de relevante a examinar no que toca a Suape são variáveis que envolvem, inclusive, uma apreciação baseada em critérios puramente econômicos, dentro do figurino do mais rigoroso raciocínio analítico, da significação em termos sociais do projeto.

Em primeiro lugar, seja dado o destaque, ao decidir levar a cabo a idéia do complexo, o governo tomou decisões quanto à alocação de recursos em Pernambuco que implicam em se recusarem muitos projetos menores, iniciativas em setores e regiões diversas do estado, cuja necessidade de suporte econômico-financeiro conflita irrecusavelmente com os requisitos de Suape. Com efeito, a crer nas próprias informações do governo pernambucano, o total de investimentos previstos para o complexo envolvendo recursos públicos e privados, é da ordem de três bilhões de dólares[1], ou seja, cerca de 23 bilhões de cruzeiros[2], cifra que é mais da metade dos fundos que se investirão, no período 1975-79, no colossal Programa de Industrialização do Nordeste e quase oito vezes mais que os recursos consignados ao Polonordeste nos anos 1975-77, ambos de iniciativa federal e considerados projetos-impacto. É ocasião então de perguntar: que razão de benefício-custo ou que taxa interna de retorno norteou a decisão do governo de Pernambuco, ou para ser menos sofisticado, que grandeza da relação capital-produto serviu de marco de referência para Suape? Se algum parâmetro dessa natureza foi usado – e não se concebe procedimento de outra forma, pois se este fosse o caso, perderia seriedade qualquer escolha envolvendo massa tão formidável de recursos sabidamente escassos –, que alternativas serviram para a decisão tomada? Isto é, dado que Suape implica numa certa configuração do destino concebido para alocação de recursos, é de se esperar que o governo haja contemplado caminhos alternativos, configurações alternativas para o uso dos recursos envolvidos, de tal modo que, pesando benefícios e custos das diversas rotas por que poderia optar, resolveu, avaliando através de coeficientes técnicos relevantes, seguir o caminho de Suape. Indaga-se: o governo fez isto? Certamente que não, parece ser a resposta, tal a maneira quase histérica com que se fala do projeto, anunciando-se tão só suas vantagens, sem nenhuma alusão àquilo que os economistas em seu esoterismo vocabular classificam de “custos de oportunidade”.

Esquecendo o aspecto acima, seria admissível transformar Suape em complexo industrial portuário, se não fosse possível conceber para o local utilizações alternativas e se não houvesse a opção para o que ali se encontra. Assim, de um prisma estritamente econômico, a decisão do projeto continua controvertida, na medida em que Suape permite imaginar outros usos para sua feliz dotação de beleza natural e de outros recursos para o lazer, além de ser sítio histórico do maior interesse. A idéia do turismo, por exemplo, vem de imediato à mente quando se pensa em aproveitar recanto de tão comovente harmonia estética. Uma rigorosa avaliação não poderia indicar relação benefício-custo mais alta no caso do turismo do que no do complexo imaginado? Esta é uma indagação de cuja objetividade não se pode escapar e que deveria, para ser aceita a decisão do projeto em andamento, ter sido pesada e confrontada com a obsessão em que se transformou a implantação do parque industrial e pólo portuário de Suape. Afinal de contas, vai se permitir que o governo sacrifique um número incalculável de projetos de menores dimensões, mas de alcance social talvez maior, investindo formidável e maciçamente numa obra que pode até – se faltarem fundos em instantes críticos – terminar como um dos mais conspícuos elefantes brancos da megalomania algo irresponsável de tantos exemplos da atividade governamental no Brasil? Suape como projeto é muito mais do que simples distrito industrial, do que um açude ou um empreendimento da agro-indústria. Vale a pena meditar cuidadosamente, pois, nos retornos totais e nos custos completos – diretos e indiretos, sociais e privados – da iniciativa. Vale a pena também refletir no fato de que os possíveis empreendimentos que se dizem atraídos por Suape são fruto de entendimentos verbais com grandes grupos multinacionais, e que esses entendimentos não necessariamente resultarão em inversões. Deformando-se a paisagem com obras de infra-estrutura que transformarão Suape em feio canteiro de obras e que eventualmente poderão não ter utilidade, se os investimentos não forem cristalizados, ter-se-á cometido o crime irreparável de deformar a paisagem e profanar um sítio histórico – tudo isso em vão.

Toda a viabilidade do empreendimento, aliás, arrima-se em análises pouco cuidadosas, conforme transparece de detido exame do material preparado pelo consórcio responsável pelos estudos de base do projeto, sob a liderança da TRANSCON. De fato, o grupo técnico que definiu em documento para a DIPER a viabilidade de Suape buscou amparar-se em instrumentos metodológicos de rigor bastante discutível, usando para projeções que atingem até o ano 2005 hipóteses cuja solidez é frágil e cuja confiabilidade não merece respeito. Dessa forma, pairam dúvidas enormes, de natureza técnico-econômica, acerca da comprovação de que o Projeto de Saúde é viável. Basta mencionar a esse propósito, que as projeções de demanda que lastreiam a recomendação de quais indústrias localizar no complexo padecem de erros analíticos e que as previsões relativas ao comércio internacional não são visceralmente ligadas a estudos sérios que caracterizem perspectivas realísticas para o intercâmbio de bens e serviços em escala mundial nos próximos 25 anos. Na verdade, especular sobre tendências deste jaez não tem sido tarefa que, mesmo aos mais argutos observadores da conjuntura internacional – gente do porte de Kindleberger, Triffin ou Haberler –, tenha proporcionado gratificação intelectual, haja vista as inesperadas mudanças decorrentes da crise de abastecimento de petróleo desde outubro de 1973. Neste ínterim, incidentalmente, mudaram inclusive parâmetros essenciais da própria concepção original do Projeto de Suape, de que é exemplo a reabertura do canal de Suez, um elemento com que não contavam arautos das primeiras manifestações a favor do complexo.

Para aparelhar Pernambuco de porto satisfatório existe a alternativa, considerada inclusive nas recomendações do tantas vezes lembrado Padre Lebret e que com o passar do tempo vai se tornando cada vez menos viável, de ampliação e modernização do ancoradouro do Recife, uma opção que interferiria, é certo, com o tumultuado processo de desenvolvimento urbano da capital pernambucana, alterando algumas das referências atualmente utilizadas. Esta interferência, entretanto, teria um custo social provavelmente inferior ao de semelhante emprego de capital no caso de Suape.

Diz-se, por outro lado, que o complexo é defensável por oferecer uma senda segura para o insatisfatório grau de desenvolvimento de Pernambuco. Mas por que só entra Suape na concepção de um programa de expansão econômica efetiva para o estado? Se convenientemente aproveitadas as vantagens turísticas pernambucanas – a cidade de Olinda, o Recife mesmo, Nova Jerusalém e as praias da costa estadual vêm de pronto à memória –, poder-se-iam, quiçá com bem menor volume de recursos, lograr êxitos na trilha do desenvolvimento mais notáveis do que com um projeto de Suape de sucesso imprevisível.

Uma palavra por outro lado para o admirável cenário, verdadeiro patrimônio artístico, que a natureza ergueu em Suape. Pode se apodar de romântica a posição, mas o fato é que, se não houvesse outra escolha econômica para o local em questão a não ser o porto e se os recursos que este envolve estivessem efetivamente sendo otimizados nesta utilização comparativamente com qualquer outra, ainda caberia discutir a sabedoria de se alterar irreversivelmente a paisagem de que Suape foi dotada. Permitir que no sítio escolhido se construa um porto e um complexo de fábricas implica em perda definitiva de uma riqueza que faz parte do acervo de Pernambuco. Isto, em qualquer raciocínio analítico, representa um custo. Lamentavelmente, sua exata magnitude não pode ser aquilatada, de modo a que uma decisão calcada em método ortodoxo de quantificação possa ser tomada. Não obstante, é lícito especular sobre se os benefícios esperados no longo prazo superarão com tranqüila margem aquilo que se estima serem os custos decorrentes do sacrifício que se imporá à paisagem – para não trazer à baila problemas igualmente relevantes relacionados com a poluição do meio ambiente que grandes projetos industriais inevitavelmente acarretam. Podem os autores do estudo de viabilidade de Suape alegar que foi considerada a questão do turismo, que o projeto reservou uma área para tal etc. Mas, conhecendo-se a experiência dos sítios industriais no mundo inteiro e lembrando-se como se apresentam suas áreas vizinhas, cinzentas e deformadas, pode-se esperar que Suape seja capaz, de fato, de oferecer ambiente para o lazer – como acontece admiravelmente agora e como ocorreria na hipótese da solução turística? Não é só Suape que pagará, em termos de mutilação do meio ambiente e de deterioração da qualidade da vida, por conta do complexo que se deseja irrefletidamente, no sentido aqui comentado, instalar ali. Todo um conjunto de recantos preferidos por uma população que se descobre asfixiada no ambiente despojado de locais de finalidade recreativa do Recife serão também sacrificados, numa proporção cujos contornos certamente se ignoram no momento. A esse propósito, parece oportuno sugerir que o governo pernambucano siga o bem sucedido e pouco divulgado exemplo do governo do Rio Grande do Sul, o qual concebeu e implantou o Parque Estadual da Praia de Torres à base de um projeto de Burle Marx que, harmonizando inteiramente o cenário local com as inevitáveis necessidades de infra-estrutura, criou ambiente de grande atração turística e lazer.

Não se ponha de lado, por último, a significação histórica de Suape, tão pouco enfatizada nos raros debates que sobre o projeto têm ocorrido à luz da opinião pública. Ainda hoje são freqüentes os achados arqueológicos de indiscutível importância que têm sido feitos no local, peculiaridade que por si só deveria levar ao tombamento da área como parte do patrimônio que a história da epopéia pernambucana nos legou.

Tudo isso exige que se tome uma posição. Que se denuncie a fragilidade de um planejamento exclusivamente voltado para a promoção tacanha da produção de mercadorias e da renda per capita, não importando que custos a sociedade está pagando por esse esforço orientado pela busca apenas de maior bem-estar material. Que se considerem a experiência e sobretudo os equívocos cometidos pelos países já industrializados e que hoje lamentam a tomada de certas decisões pouco sábias, inclusive e principalmente no que se refere à detestada e combatida poluição do meio ambiente. Agora mesmo, quando o Brasil protesta de forma uníssona e veemente diante da tentativa – felizmente frustrada – do governo finlandês de jogar uma carga de arsênico em forma de lixo no Atlântico Sul, convém que se enfatize o perigo que é para nosso mar a instalação de fábricas gigantescas de fertilizantes e de alumínio junto à costa pernambucana, a lançar continuamente seus excrementos industriais em águas que ora são admiradas por uma festejada e cada vez mais rara pureza. Ainda é tempo de se reformar o esquema de Suape. Assim, nada mais justo que o governo se disponha a abrir o debate técnico em torno do complexo, de modo a que a responsabilidade daqueles que antevêem os ônus que recairão sobre a sociedade em decorrência da efetivação da obra possa ser resguardada. E que se evite o ufanismo oficial pouco sadio que chega a proclamar Suape como empreendimento irreversível, numa tentativa de fazer com que a população o aceite sem oposições, como fatalidade do crescimento econômico – que não é.

Clóvis Cavalcanti, diretor do Departamento de Economia do Inst. Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais

Renato S. Duarte, Professor do Mestrado em Economia e da Faculdade de Ciências Econômicas da UFPE

Roberto M. Martins, Coordenador do Curso de Mestrado em Sociologia da UFPE

Nelson Chaves, Professor Titular da Faculdade de Medicina da UFPE

José Antônio Gonsalves de Mello, Professor Titular de História da UFPE

Renato Carneiro Campos, Diretor do Departamento de Sociologia do Inst. Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais

João de Vasconcelos Sobrinho – Chefe da Estação Ecológica de Tapacurá e Titular da Disciplina de Ecologia da Universidade Federal Rural de Pernambuco



[1] Segundo Governo Eraldo Gueiros Leite, Assim Servi a Pernambuco, Recife, março de 1975, p. 19.

[2] Não se sabe a que período os gastos se referem, nem tampouco qual a base dos preços utilizada, mas acredita-se que esta seja de preços de inícios de 1975.


Original do manifesto:







Manifesto de Suape em 1975

Disponível em PDF

Postado pelo Profº Clóvis em seu Blog

E o tempo vai passando, e o estrago ficando irreversível.

Ibama se recusa a fiscalizar Suape


Pescadores denunciaram, junto ao Ibama de Pernambuco, que a termelétrica do Complexo Portuário de Suape, no Grande Recife, está descartando no mar água com temperatura acima da permitida, provocando a mortandade de peixes. A reclamação, protocolada dia 27 de maio (veja abaixo), no entanto, até agora não foi apurada. A superintendente do Ibama, Ana Paula Pontes, diz que cabe à Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH) fiscalizar, “uma vez que licenciou a obra.” E informa que oficiou a CPRH sobre o caso. A agência nega que tenha recebido o ofício do Ibama.

Segundo a assessoria de imprensa da CPRH, o documento não está nem na ouvidoria, nem na presidência, onde normalmente são protocoladas as denúncias. O ofício teria sido enviado pela diretora de Licenciamento do instituto, Lizânia Rocha Pedrosa. “Mas não sei o número do ofício e a quem foi entregue”, afirma. A respeito da data, ela garante ser 16 de junho, ou seja, a mesma em que o blog procurou o Ibama.

Sobre a atuação do Ibama em empreendimentos licenciados pela CPRH, essa não seria a primeira vez. Em Suape mesmo há vários procedimentos, alguns no Estaleiro Atântico Sul, e recentes (leia aqui). Sem falar no Polo Gesseiro, no Sertão do Araripe.

O ambientalista Manoel Tabosa, autor da denúncia, diz que os peixes começaram a aparecer mortos no dia 20 de maio. “Os pescadores perceberam que a água estava quente, no local onde os peixes boiavam”, relata o presidente da Associação de Defesa do Meio Ambiente de Pernambuco. “A termelétrica bombeia a água do mar e a devolve à natureza, por meio de um emissário submarino, quente e poluída”, completa.

No dia 4 de maio, foram exonerados dois servidores do Ibama – os chefes da fiscalização e do setor jurídico – que se mostraram desfavoráveis à anuência, pelo instituto, de desmatamento de mangue, restinga e mata atlântica em Suape sem que fosse exigido da empresa o cumprimento do passivo ambiental, isto é, das pendências em relação a autuações, multas e compensações por danos ambientais causados por supressões anteriores de vegetação nativa.

Bem, para um bom entendedor, duas palavras bastam, diz o ditado. Nesse caso, basta uma: prevaricação. Por parte não só do Ibama, mas também da CPRH. Para quem não se lembra o que é, segue definição do Aurélio: “Crime perpetrado por funcionário público, e que consiste em retardar ou deixar de praticar, indebitamente, ato de ofício, ou em praticá-lo contra disposição legal expressa.”





Postado por Verônica Falcão às 17:23 em 16 DE Junho DE 2010 no Blog CiÊncia e Meio Ambiente


ONGs exigem estudo de impacto ambiental para obra de ampliação de Suape


O Ministério Público de Pernambuco recebe na tarde desta segunda representação de organizações não-governamentais cobrando a exigência, pelos órgãos governamentais, de Estudo Prévio de Impacto Ambiental (Epia) para as obras de ampliação do Porto de Suape, que preveem o desmatamento de 691 hectares de vegetação nativa (508 de mangue, 17 de mata atlântica e 166 de restinga).

A carta (veja abaixo) será entregue pela Associação Pernambucana de Defesa da Natureza (Aspan), que representa o Comitê em Defesa dos Manguezais, com 82 entidades, ao responsável pela Coordenadoria de Apoio às Promotorias (Caop) de Meio Ambiente, promotor Andre Silvani. O documento também cobra a realização de audiência pública, pela Agência Pernambucana de Meio Ambiente (CPRH), para debater detalhes da obra. O desmatamento foi solicitado pelo governador Eduardo Campos e tem a autorização da Assembleia Legislativa.

Clique em FULL para visualizar a tela inteira e ESC para retornar.




Postado por Verônica Falcão às 14:00 em 14 DE Junho DE 2010 no Blog Ciência e Meio Ambiente

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Controle populacional - Malthus já dizia!



Três décadas atrás, muitos estudiosos diziam que o crescimento cada vez maior da população poderia levar a um desastre global. Eles debatiam sobre catástrofes ecológicas, guerra por fontes de recursos naturais e outras tragédias que seriam inevitáveis ao menos que medidas radicais fossem tomadas para neutralizar o iminente colapso populacional. Felizmente, uma mistura de inovação tecnológica, dinamismo econômico e estratégias de controle populacional bem sucedidas ajudaram a reduzir o impacto populacional, até agora.

Enquanto as Nações Unidas comemoraram nesta semana o World Population Day (Dia Mundial da População” em tradução livre) havia uma boa razão para torcer. A expectativa de crescimento da população foi revista em seus mais variados cenários para levar em consideração a queda nos índices de fertilidade não somente na Europa e Japão, mas também nos países pobres como Bangladesh e Quênia. Stan Bernstein do UN Population Fund (Fundo Populacional das Nações Unidas) até insistiu afirmando que “isso é uma das grandes estórias de sucesso em desenvolvimento nos últimos 40 ou 50 anos”, apontando que o constante uso de técnicas de planejamento familiar em países em desenvolvimento passou de 10% a 12% na primeira metade da década de 60 para cerca de 60% atualmente.



Depopulação Redução Populacional Vacinação Esterilidade

Bill Gates admite que vacinas são usadas para depopulação humana

A farsa do aquecimento global insiste em continuar, mesmo quando o Climategate desmascarou a farsa e a comunidade científica acorda para a verdade.

Depois de Al Gore, chega a vez do novo paladino negro Bill Gates fazer seu pronunciamento.

Durante uma apresentação em fevereiro de 2010 no TED, Bill Gates faz a surpreendente declaração que as vacinas devem ser usadas para reduzir a população da Terra, controlar o aquecimento global e reduzir as emissões de CO2 (que já sabemos que é inofensivo ao planeta).

No coração do discurso de Gates está o dogma do Aquecimento Global, o qual diz que a emissão de CO2 emitido por seres humanos é a causa primária pelo aquecimento indesejado da Terra. Uma vez que essa (falsa) afirmação diz que o aquecimento artificial do planeta é induzido pelo homem, e que o processo será irreversível caso não mudemos nossas atitudes, os proponentes do dogma do Aquecimento Global defendem o ponto que as emissões de CO2 pelos seres humanos devem ser radicalmente reduzidas.

Então entra em cena Bill Gates, que casualmente aborda o assunto. Durante sua palestra, Gates afirma que uma maneira de alcançar o objetivo da redução de CO2 é reduzir a população humana global.
Ele postula uma equação, dando uma estimativa do CO2 emitido pelo homem anualmente, como vemos abaixo:

CO2 = P x S x E x C

Onde:

P = população humana
S = média dos serviços por pessoa
E = quantidade média de unidades de energia usadas por serviço
C = média de CO2 emitido por unidades de serviço por ano

Assim, CO2 = quantidade projetada de CO2 emitido pela população inteira por ano.

Hoje a Terra possui 6.8 bilhões de pessoas. Assegurando que a população se dirige perigosamente a casa dos 9 bilhões de pessoas, Bill Gates disse: “…se fizermos um trabalho realmente bom com as novas vacinas, a Saúde e os Serviços de Saúde Reprodutiva (ou seja, a indústria do aborto), poderíamos reduzir a população em talvez uns 10% ou 15%” (o que equivale de 680 milhões a um bilhão e 20 milhões de pessoas).

Só faltou dizer que o resto da população eliminada será através de guerras, das chemtrails e do HAARP, com suas catástrofes criadas… Mas essa não é a praia de Gates, “ele ama vacinas”.

Notem que Gates não fala das vacinas no sentido que todos nós conhecemos, ou seja, aumentar a capacidade de nosso sistema imunológico através da inserção de virus e bactérias mortos ou atenuados em nossos corpos – melhorando, assim, nossa qualidade de vida.
Pelo contrário, Bill Gates considera que vacinas são desejáveis para reduzir o número da população.
E como? Basicamente, com todas as propriedades que impeçam pessoas de terem filhos, através da infertilidade, esterilidade e senilidade (vide casos onde a vacina H1N1 foi usada e o número de autistas explodiu).

Sarcasticamente, encontramos no site da Fundação, a citação de Melinda Gates sobre vacinas:

“Vacinas são um milagre – com apenas algumas doses elas podem prevenir doenças mortas por uma vida inteira”.

Procure a matéria publicada no Estadão: Bill Gates doa US$ 10 bilhões para a produção de vacinas. E essa no Mídia News: ONG de Bill Gates contrata FDA para nova vacina

Morte na África, em outros países pobres, e na China.
Conveniente, não?

Espero que agora todos entendam o porquê da Fundação Bill e Melinda Gates ser uma das maiores patrocinadoras do Banco Mundial de Sementes, o Silo Global de Sementes de Svalbard, formado juntamente pela Monsanto, Rockefeller e Syngenta – todos percententes aos Illuminati.

O site da Fundação ainda exibe uma de suas missões: “A Fundação Bill & Melinda Gates é dedicada a trazer inovações na saúde e no aprendizado da comunidade global”.

Quero morrer “burro” e “doente” ao depender de pessoas e instituições assim…


do site: www.ecocidio.com.br

Agora me diga: você tomou a vacina contra o H1N1?

O movimento de controle da natalidade, que deu à luz o movimento de controle populacional, era um movimento espiritual, não secular.

A primeira pessoa a pregar a redução do número de bebês nascidos para famílias cristãs foi a lésbica Annie Besant (1847-1933), que era uma líder teosófica, espiritualista, feminista e socialista radical na Inglaterra. O público da pregação dela era uma Inglaterra predominantemente protestante.

Mais tarde, a promíscua Margaret Sanger (1883-1966), que inventou o termo “controle da natalidade” e era igualmente uma socialista, teósofa e feminista revolucionária nos EUA, lançou o desafio da liberação da mulher por meio da contracepção.

Ela fundou o movimento de controle da natalidade na nação americana predominantemente protestante e organizou a pioneira Conferência de População Mundial em Genebra, na Suíça, em 1927. Essa primeira conferência de controle populacional foi a precursora das grandes conferências modernas de população da ONU.

Hoje, a Federação Internacional de Planejamento Familiar (cuja sigla em inglês é IPPF), fundada por Sanger em 1952, é a mais importante aliada e inspiradora da ONU e é há várias décadas a maior promotora de aborto, planejamento familiar e educação sexual do mundo.

Em seu primeiro jornal The Woman Rebel (A Mulher Rebelde), Sanger confessou: “O controle da natalidade atrai os radicais mais avançados do socialismo porque sua prática mina a autoridade das igrejas cristãs. Algum dia espero ver a humanidade livre da tirania do Cristianismo…”

Ela estava certa. As nações hoje mais pró-aborto, pró-homossexualismo, pró-contracepção e pró-feminismo tinham outrora culturas predominantemente protestantes. Elas agora são nações pós-cristãs, onde sob a dominante cultura contraceptiva — com suas mulheres em liderança masculina, homens no homossexualismo e poucas e pequenas famílias — a população européia está diminuindo drasticamente e os muçulmanos na Europa estão — com suas esposas em casa gerando filhos — experimentando um crescimento populacional explosivo por meio de suas muitas famílias grandes.

O controle da natalidade garantiu para futuro bem próximo a extinção da civilização européia e a dominação muçulmana sem precedente na Europa.

john Holdren

Em 1977, John Holdren publicou um livro «Eco Ciência » em que sugeria controle populacional, esterilização das pessoas através da água e comida, implantes corporais para evitar gravidezes , abortos obrigatórios etc.
Esse fulano, John Holdren é, actualmente, conselheiro do Obama para Tecnologia e Ciência,



domingo, 20 de junho de 2010

Entre ser feliz ou ter razão.


Wanessa Rafaela diz:

"Oito da noite, numa avenida movimentada. O casal já está atrasado para jantar na casa de uns amigos. O endereço é novo e ela consultou no mapa antes de sair. Ele conduz o carro. Ela orienta e pede para que vire, na próxima rua, à esquerda. Ele tem certeza de que é à direita. Discutem.
Percebendo que além de atrasados, poderiam ficar mal-humorados, ela deixa que ele decida. Ele vira à direita e percebe, então, que estava errado.

Embora com dificuldade, admite que insistiu no caminho errado, enquanto faz o retorno. Ela sorri e diz que não há nenhum problema se chegarem alguns minutos atrasados.

Mas ele ainda quer saber: - Se tinhas tanta certeza de que eu estava indo pelo caminho errado, devias ter insistido um pouco mais... E ela diz: - Entre ter razão e ser feliz, prefiro ser feliz. Estávamos à beira de uma discussão, se eu insistisse mais, teríamos estragado a noite! "

_________________

Sabias palavras... mestre.

Porque nem todo final é feliz.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Microsoft Plus! SuperPack p/ Windows XP (Oficial)

Microsoft Plus! SuperPack p/ Windows XP (Oficial) BaixarPacote oficial da Microsoft, vendido a parte do Windows, aqui no Linka Grátis é totalmente gratuito.
Neste pacote você encontra uma série de utilidades adicionais ao seu Windows XP, tanto recursos para sua área de trabalho como recursos multímidia, na minha opinião estes recursos já deveriam acompanhar o Windows, mas a Microsoft faz de tudo por uns trocos a mais, então vale a pena conferir.

Download Grátis

  • Servidores : Rapidshare
  • Tamanho: 143 MB
  • Download – Parte 1 (100 MB)

    Download – Parte 2 (43 MB)

    segunda-feira, 14 de junho de 2010

    Mulher de Bouguereau

    [Clique na imagem para ampliar]
    (O Nacimento de Vênus - Bouguereau - 1879)


    Forte, macio o desejo meu

    Por entre o corpo teu

    Me impele à você.

    te ver,

    impávida, estendida.

    És terra que examino do teu horizonte,

    como ávido desbravador.

    Quebra a noite tua brancura.

    Que nem o sol estilhaça na madrugada

    Mulher de Bouguereau.

    Linda, flexível, nua, sexy

    Retiro o vestido, teu-meu, vestido

    Que te cobre e me tenta a descobrir-te

    Desfila nesse palco,

    posições de fotos guardadas nem sei onde.

    Queria prender-te em mim como elas

    Mais e mais doses de tuas coxas.

    Mais e mais goles de tua sede,

    Deixe eu ser o teu vinho e a água.

    Se eu fosse antes não seria agora,

    deixe ser agora,

    deixe ser paralelo universo.

    Deixe ser eu, você e ninguém.

    Siga,

    volte,

    não pense.

    Porque são tuas as minhas mãos.


    (Miliano)

    quinta-feira, 10 de junho de 2010

    A Dermatobia e Eu



    Uma mosca pousou pesadamente no meu braço, perto da minha mão. Parei a leitura e meio assustado, observei-a por dois segundos, era enorme! Um espécie nova? Não sei. Nunca vi mais gorda, se bem que era impossível ser mais gorda e pesada, parecia uma espaçonave, tão elaborada e sinistra; Como são elaborados os incetos..., mas nem todos são sinistros. Dei um peteleco nela, com o lápis que uso para sublinhar o texto. Ela quase não se afastou, e num voo de trapezista voltou a pousar em mim.

    Que insistência! Não vê que sou maior e mais forte? Que ousadia e atrevimento!
    Afugentei-a novamente, dessa vez com a revista; De vez em quando eu coloco o lápis na boca... Melhor não encostá-lo no bicho!

    E mais uma vez ela pousou, eu não vi, mas procurei, tinha certeza que ela voltaria. Estava na minha perna. No pano da calça, parecia que afastava as fibras do tecido para chegar a mim. Impacientemente e já indignado, afugentei-a com a alça da bolsa. Ela – o monstro – parecia partilhar da indignação. Voltou no ar e como que dissesse: Banzai! Voou de encontro à minha cabeça. Acho que se ela pudesse, com sua fuselagem de espaçonave, perfuraria minha cabeça, de um lado à outro, e sorriria ensanguentada do alto, me vendo cair como um peso de papel.

    Acho que ainda ouvi um sorriso sarcástico, brotando dos seus cinquenta olhos, a me fitar, pousada no meu joelho, imóvel e desafiadora. Mesmo com algum movimento meu, ela não se abalava.

    Permaneceu lá por eternos cinco segundos.

    Transformei toda a alça da bolsa num daqueles poderosos chicotes roliudianos e atingi o ser nefasto, representante de todos os seres nefastos do meu dia. Ela rolou atordoada pelo chão, tentando se recompor, aprumando as asas que pareciam asas de uma inceticídica possessão.

    Creio que ainda me fitava. E lá do alto, eu pisei no seu corpo, com uma pisada que esmagaria uma cadeira, e deslizei o solado pelo chão, transformando em pozinho a mosca e os seres nefastos do meu dia.

    Miliano

    quarta-feira, 9 de junho de 2010

    Hiren BootCD 10,5

    Hiren s  BootCD 10.5

    Hiren BootCD 10.5


    Hiren's BootCD é um live CD contendo vários programas de diagnóstico com: particionadores de disco, agentes, testes de performance, clonagem de disco e criação de imagens, ferramentas de recuperação de dados, ferramentas de MBR, ferramentas para BIOS, entre outras inúmeras ferramentas que podem ajudar na resolução e diagnósticos de determinados problemas. Ele pode ser usado em casos aonde o sistema operacional primário não inicia (problemas no ntldr por exemplo).

    Além da ferramentas de diagnóstico e reparo ele possui o WinTools que é conjunto de ferramentas que rodam diretamente do CD sem a necessidade de instalação no sistema operacional.


    Download do Hotfile
    http://hotfile.com/dl/46615536/bc38056/Hirens.BootCD.10.5.zip.html

    Download do Uploading
    http://uploading.com/files/f5b1fm86/Hirens.BootCD.10.5.zip


    Senha para descompactar: http://www.downloadfree.net

    Download: The Sims 2 + Expansões, Em português!




    The Sims 2 é um jogo de computador e de videogame da Maxis. É a seqüência do jogo popular The Sims. É uma continuação muito vasta em relação à versão anterior e com várias atualizações. É completamente em 3D, e, diferentemente das versões anteriores, os personagens ficam velhos e têm traços genéticos que podem ser passados para seus filhos. O jogo foi lançado oficialmente em 17 de setembro de 2004.Vendeu 1 milhão de cópias em 10 dias.O sucessor The Sims 3 é esperado para meados de 2009.

    Requerimento Minimo

    PIII 600Mhz, 256MB de RAM, 3,5GB no HD, Placa de vídeo 32MB (Geforce2/Radeon 7000 ou superior), Directx 9.0c.

    The Sims 2

    Download parte 1|Download parte 2|Download parte 3|Download parte 4

    ou

    CD 1 (200 Mb cada parte)
    Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4

    CD 2
    Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4

    CD 3
    Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4

    CD 4

    ou

    CD1
    http://rapidshare.com/files/6279853/simeon...year1.part7.rar
    http://rapidshare.com/files/6279845/simeon...year1.part6.rar
    http://rapidshare.com/files/6279776/simeon...year1.part5.rar
    http://rapidshare.com/files/6279720/simeon...year1.part4.rar
    http://rapidshare.com/files/6279665/simeon...year1.part3.rar
    http://rapidshare.com/files/6279621/simeon...year1.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/6279565/simeon...year1.part1.rar

    CD2
    http://rapidshare.com/files/6280506/simeon...year2.part7.rar
    http://rapidshare.com/files/6280483/simeon...year2.part6.rar
    http://rapidshare.com/files/6280426/simeon...year2.part5.rar
    http://rapidshare.com/files/6280370/simeon...year2.part4.rar
    http://rapidshare.com/files/6280305/simeon...year2.part3.rar
    http://rapidshare.com/files/6280235/simeon...year2.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/6280165/simeon...year2.part1.rar

    CD3
    http://rapidshare.com/files/6281137/simeon...year3.part7.rar
    http://rapidshare.com/files/6281117/simeon...year3.part6.rar
    http://rapidshare.com/files/6281045/simeon...year3.part5.rar
    http://rapidshare.com/files/6281000/simeon...year3.part4.rar
    http://rapidshare.com/files/6280929/simeon...year3.part3.rar
    http://rapidshare.com/files/6280873/simeon...year3.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/6280825/simeon...year3.part1.rar

    CD 4

    ou

    -- DVD , EDIÇÃO ESPECIAL --

    Parte 1 Parte 2 Parte 3 Parte 4 Parte 5 Parte 6 Parte 7 Parte 8
    Parte 9 Parte 10 Parte 11 Parte 12 Parte 13 Parte 14 Parte 15
    Parte 16 Parte 17 Parte 18 Parte 19 Parte 20 Parte 21 Parte 22
    Parte 23 Parte 24 Parte 25 Parte 26 Parte 27 Parte 28 Parte 29

    Serial: HDDV ERBZ D7KP 6N7E H8WD BKUL CS68 J6AT 37Y7 kX4F XVSA 24UG G34W NG32 YRLD UCRR NGZX HTD3 CHTE 5RLD
    -> (Escolha um serial e coloque no jogo)

    Crack:
    Download AQUI (Com Modo de construção.)

    Crack: Depois de baixar, extraia o arquivo do crack dentro da pasta TSBin, que se localiza: EAGAMES > The Sims 2 - The Sims 2 > TSBIN

    Imagem: Download AQUI ou AQUI
    (Extraia o arquivo da imagem, e emule com o programa Daemon Tools)

    - Update
    http://rapidshare.com/files/6286667/The_Sims_2_Update.rar

    - NoCD Image
    http://rapidshare.com/files/6288101/The_Si..._NoCD_Image.rar

    - Senha: www.projecttr.com

    Obs.: Crack e o serial vem junto com o jogo dependendo do servidor.


    The Sims Family Fun Stuff (Diversão em Familia)

    Download

    Parte 1 -Download Parte 2 -Download Parte 3 -Download

    Senha para descompactar: rslinks.org

    Serial: QMSS-8RVR-WJRW-LWJL-ZRLD


    The Sims 2 University (Universidade)

    Tamanho: 940Mb , Formato: Mdf/Mds , Idioma: Português

    Download

    CD 1 MDF CD 1 MDS CD 2 BIN CD 2 CUE

    Seriais

    R44C-HRNL-VUCT-8WAZ-U1G9
    6PFX-W8AH-MVNG-X90X-F4JH
    SPQQ-KC0R-NVNG-ZB8D-K4A4
    IENW-DVBZ-YVNG-RO3O-A4E


    Opção 2

    CD1:

    http://rapidshare.com/files/43123036/TXT-SIM2US_1.part1.rar
    http://rapidshare.com/files/43131649/TXT-SIM2US_1.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/43150050/TXT-SIM2US_1.part3.rar
    http://rapidshare.com/files/43155804/TXT-SIM2US_1.part4.rar
    http://rapidshare.com/files/43520826/TXT-SIM2US_1.part5.rar
    http://rapidshare.com/files/43238172/TXT-SIM2US_1.part6.rar

    CD2:

    http://rapidshare.com/files/43711403/TXT-SIM2US_2.part1.rar
    http://rapidshare.com/files/43530118/TXT-SIM2US_2.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/43522915/TXT-SIM2US_2.part3.rar

    Senha para descompactar: www.zonapirata.net

    Crack rodar sem cd:
    Depois de instalado o jogo, vai pedir para vc colocar cd na unidade, caso vc não tenha o cd, use esse crack. Download

    Coloque o SIMS2EP1.EXE dentro da pasta TSBIN que se localiza:
    MEU COMPUTADOR > C > ARQUIVOS DE PROGRAMAS > EAGAMES > The Sims

    2 - Vida de universitario > TSBIN
    Substitua o antigo arquivo pelo crack.
    Pronto, agora pode jogar normal.

    The Sims 2 Open for Business (Aberto para negócios)

    Opção 1

    parte 1: Download parte 2: Download parte 3: Download parte 4: Download
    parte 5: Download parte 6: Download parte 7: Download parte 8: Download


    Crack

    Serial

    XVSA-24UG-G34W-NG32-YRLD
    UCRR-NGZX-HTD3-CHTE-5RLD
    9U88-Z2QX-FJ9S-6FJH-TRLD
    ZLZR-HL2M-3NM4-W3N4-7RLD
    7W5D-MLWY-X4KX-JX4K-ZRLD


    Download

    Serial number: BVP7-RKBC-2H59-7DP8-AMJA


    Crack rodar sem cd:
    Depois de instalado o jogo, vai pedir para vc colocar cd na unidade, caso vc não tenha o cd, use esse crack. Download

    Coloque o SIMS2EP3.EXE dentro da pasta TSBIN que se localiza:
    MEU COMPUTADOR > C > ARQUIVOS DE PROGRAMAS > EAGAMES > The Sims

    2 - Aberto Para Negócios > TSBIN
    Substitua o antigo arquivo pelo crack.
    Pronto, agora pode jogar normal.

    The Sims 2 Christmas Party ( Pacote Festa de Natal)

    http://rapidshare.com/files/8299421/TS2-CP...ezAlliance_.rar

    Password: worldwarezalliance.org

    The Sims 2 Glamour Life (Glamour - Coleção de Objetos)

    http://d01.megashares.com/?d01=9a61b83
    http://d01.megashares.com/?d01=272be03

    The Sims 2 Pets (Bichos de Estimação)

    Download Aqui (BIN)
    Download Aqui (CUE)

    The Sims 2 Seasons (Quatro Estações)

    Tamanho: 750MB , Formato: Iso , Idioma: Português

    Download

    Parte 1 Parte 2

    Obs.: Junte as partes com o HJSPLIT 2.3!!

    Crack

    Serial: 252A-PPWQ-X2AZ-ZX22-5RLD

    The Sims 2 Celebration Stuff (Pacote de Celebrações)

    Tamanho: 350Mb ,Formato: Iso , Idioma: Português

    Download

    http://rapidshare.com/files/24005012/rld-ts2c.part1.rar
    http://rapidshare.com/files/24003075/rld-ts2c.part2.rar
    http://rapidshare.com/files/24004359/rld-ts2c.part3.rar
    http://rapidshare.com/files/24003447/rld-ts2c.part4.rar

    ou

    Opção 2:Download Aqui Opção 3:Download Aqui

    Arquivo Cue


    Senha:www.webpunkt.org

    Seriais

    AS33-RLGD-BEJK-8BEJ-PRLD
    S2QG-BJ2C-9VJ5-49VJ-9RLD
    JMF7-MLQL-DGAU-YDGA-YRLD
    JWW6-SSJQ-5LAN-T5LA-SRLD
    264L-XJEA-NT2J-ZNT2-NRLD


    The Sims 2 H&m Fashion Stuff

    Tamanho: 500Mb , Formato: Mdf/Mds , Idioma: Português

    Download

    Parte 1 Parte 2 Arquivo MDS

    Seriais

    F6B3-G84H-8UR3-D8R2-SZ9E
    4MGQ-3EED-4ZYU-T36J-J7HC
    P8MD-S2AZ-YOJE-JX0D-18ZH
    7ZDM-GJLM-7E9T-60LS-SH6X
    4BA2-DRUB-H32X-FPV7-V6LC
    K5MD-XGZF-ELOG-DVLV-WA7H






    The Sims 2 Estilo Teen

    Tam: 466MB - 500MB , Idioma: Inglês / Português


    DOWNLOAD VIA EASY-SHARE:Clique

    DOWNLOAD VIA BADONGO 6 partes:Clique

    DOWNLOAD VIA FRIENDLY FILES:Clique

    DOWNLOAD VIA FLYUPLOAD:Clique

    SERIAIS:
    JL7X-25B6-Q4SF-8Q4S-KRLD
    SB5V-M6FP-2W2K-R2W2-PRLD
    28Y8-SSS9-J8JV-CJ8J-ZRLD
    J6Y8-SST5-37AX-937A-3RLD
    SLQY-92XD-6GS3-T6GS-7RLD





    DOWNLOAD RAPIDSHARE: (9 partes)

    http://rapidshare.com/files/53454122/flt-tsbv.part01.rar
    http://rapidshare.com/files/53454165/flt-tsbv.part02.rar
    http://rapidshare.com/files/53454062/flt-tsbv.part03.rar
    http://rapidshare.com/files/53454013/flt-tsbv.part04.rar
    http://rapidshare.com/files/53454183/flt-tsbv.part05.rar
    http://rapidshare.com/files/53454100/flt-tsbv.part06.rar
    http://rapidshare.com/files/53454199/flt-tsbv.part07.rar
    http://rapidshare.com/files/53808075/flt-tsbv.part08.rar
    http://rapidshare.com/files/53453931/flt-tsbv.part09.rar

    Crack The Sims 2 Bon Voyage:
    http://rapidshare.com/files/53639710/Fairlight.rar

    Pacote de objetos Teen Style Stuff
    http://torrents.to/search/247/teen+style+stuff.html

    Tamanho: 778MB , Formato: ISO , Multilinguagem

    CRACK:
    DOWNLOAD

    SERIAL: 1PH9-2Q1J-1111-G111-1FLT

    INSTALAÇÃO

    - Baixe todos os 9 arquivos.
    - Use Winrar para descompactar.
    - Use HJ-SPLIT para juntar as partes:

    Tutorial como juntar partes com HJ-SPLIT

    - Download HJ-SPLIT
    - Deixe todos os arquivos na mesma pasta
    - Então emule com o Daemon Tools ou grave em cd

    Tutorial montando imagem com o Daemon Tools

    Por fim, pegue o crack da pasta Fairlight "Sims2EP6.exe" e coloque na pasta TSBIN
    Que fica em C:\Arquivos de programas\EA GAMES\The Sims 2 Bon Voyage\TSBin
    Substitua pelo antigo.

    http://content.answers.com/main/content/wp/en/thumb/2/20/250px-2545-pack-histoire-naufrages.jpg

    The Sims Castaway Stories

    (
    The Sims Histórias de Náufragos )

    Tamanho: 2.30GB , Formato: ISO , Idioma: Inglês

    Download

    Opção 1

    Parte 1 Parte 2 Parte 3

    Opção 2

    Parte 1 Parte 2 Parte 3

    Opção 3

    Parte 1 Parte 2 Parte 3

    Opção 4

    Parte 1 Parte 2 Parte 3

    OBS: INSTALANDO MAIS DE UMA EXPANSÂO

    O erro das expansões está no CD 4 do seu the sims , a maioria das pessoas reiniciam o PC qunado ele pede o CD 4 na instalação de alguma expanção.
    (Experiência própria) Para solucionar isso você deve certificar-se qu o nome de seu CD 4 é Sim2_4 é obrigatório que seje esse se não nunca vai funcionar e com só o "s" maiúsculo e o resto minúsculo.

    Após ter baixado o Update você vai descompacta-lo clicar no ícone e quando ele pedir seu CD 4 você vai emular o Cd 4 no Daemon Tools e dar OK.(se seu crack estiver instalado essa operação não irá funcionar).

    O Crack de The sims 2 na verdade é o principal motivo de problemas em expansões , pois ele serve APENAS para quem for jogar SÓ o The Sims 2, para rodar expansões seu the sims pirata deve estar completamente limpo sem o crack.

    Voltando...
    Quando você já estiver atualizado o seu The Sims 2 pelo Update fique feliz porque o mais difício passou . =D

    Agora é a parte chata reinstale suas expansões mas dessa vez ( se vc fez certo óbvio) não pedirá o irritante "CD 4" e suas expansões vão funcionar juntas no lugar da mensagem do "CD 4 " vai mostrar "Você instalou the sim 2 corretamente" e vai pedir para você inserir o CD 1 da expansão.
    Não se assuste se der um erro do tipo " Coloque o CD corret " isso acontece pois você não instalou o crack ainda . OBS : O Crack da expansão mais recente que você baixou não só pode como deve estar na TSBIn da expansão mas não coloque o do The Sims.

    Lembrando que sempre que você jogar VC deve emular o CD 1 da expansão que você vai jogar , e não pode ficar colocando em outra por exemplo quem instala o nightlife e o vida de universitário e tenta rodar pelo universitário ou pelo próprio The Sims 2 isso está super errado , você tem que rodar pelo NIGHTLIFE (exemplo).

    Colocando o jogo em portugues, caso ele nao esteja:

    Você baixou um jogo e não tem o Idioma Português? É fácil mudar.
    Aqui vou ensinar a traduzir qualquer expansão ou o The Sims 2 para português depois de já ter instalado.

    1° Vá em INICIAR >> EXECUTAR
    2° Digite regedit
    3° Clique em HKEY_LOCAL_MACHINE
    4° Clique em SOFTWARE
    5° Clique em EA GAMES

    Aí vão aparecer as pastas das expansões que vc tem, dê um clique duplo na pasta da expansão que vc quer traduzir.

    Clica na pasta 1.0
    Aí na area da direita que abrir, clique duas vezes em LANGUAGE

    Vai abrir uma janela, selecione DECIMAL e em Dados do Valor, digita 10
    Faça isso em todos que vc quiser que fiquem em Português.

    Outros números:

    - 10 Português (Brasil)
    - 4 Italiano
    - 1 Inglês
    - 5 Espanhol

    Instalando objetos (roupas, skins, acessórios, casas etc..) no jogo:


    Arquivos que terminam em .package , instalam-se no diretório:

    Meus Documentos\EA Games\The Sims 2\Downloads.

    Arquivos que terminam em .Sims2Pack, instalam-se "diretamente". Basta clicar duas vezes sobre o mesmo, e seguir as Instruções indicadas.


    Os arquivos de vizinhança instalam-se no seguinte diretório:

    Meus Documentos\EA Games\The Sims 2\SC4Terrains.

    Caso de você não ter a pasta Download dentro do diretório: Meus Documentos\EA Games\The Sims 2\Downloads, crie uma.

    Como juntar as partes com o final .rar

    baixem todas as partes
    tenha o winrar ou baixem ele
    dai clica com o botao direito em cima da primeira parte e seleciona "extrair todos os arquivos" e automaticamente vai extrair todas as partes (2 ,3 ,4 ...)
    eu aconselho a partir dessa parte baixarem o PowerISO ele é com certeza o melhor ( da pra baixar no www.baixaki.com.br) pois o daemon nem sempre funciona.

    quando terminar de extrair abra a pasta que "automaticamente" ira aparecer e selecione qualquer arquivo (desenho da pastinha do winrar) e abra, na hora escolha o PowerISO para abrir. na hora vc vai ver aquelas pastinhas e icones da instalação, mas naum vai dar certo tentar iniciar a instalação de dentro do PowerISO, entaum va na opção no menu acima de extrair os arquivos para algum lugar, (obs: crie uma pastinha no desktop, fica bem facil dai para extrair para algum lugar)
    terminado o processo, abra esta pasta e pronto vai ter tudo certinho para a instalação.

    Para funcionar o Modo Construção no The Sims 2

    Baixe este arquivo aqui

    Depois (se vc já não tiver)baixe o Programa que emula um CD Virtual vai esse tutorial:
    1) Baixem o Daemon Tools:
    Clique aqui

    2) Instale ele e depois reinicie o micro.

    3) Quando vc reiniciar repare que existe um icone Vermelho do lado do relogio na barra.

    4) Clique com o botão direito em cima dele e vá em Emulation e clique no Safedisc, icone vermelho vai mudar de cor, pra verde.

    5) Clique novamente no icone verde, e vá em Virtual CDROM/Device0:/Mount Image.

    6) Localize a imagem (Sims2_1.mir) no seu PC e abra.

    7) Vá em Iniciar/executar e digite Regedit.

    8) Vá em HKEY_LOCA_MACHINE/SOFTWARE/EA GAMES/The Sims - na opção CD Drive clique com o botão direito/modificar e troque de D: pra E: e repita o precedimento pra opção Installed From.

    9) Reinicie e bom divertimento!!!

    Obs.: qd vc instalar o jogo, não coloque o crack, senão não funciona!!!


    Universal multiloading disco BOOTNOVA

    Universal multiloading disk BOOTNOVA 002 (06/05/2010)

    Universal multiloading disk BOOTNOVA 002 (06/05/2010) | 2.7 GB

    O "Universal boot disk" restaura o sistema com as atualizações de junho de 2010.
    Contém um conjunto de antivírus, ferramentas para trabalhar com discos e imagens, backup e sistemas de upload, restaura informações perdidas e senhas, criar contas de administrador novas, retorno ao último ponto de restauração, mostra a imagem do disco do sistema, e muito mais.




    Versão: 002
    Plataforma: Windows, Linux
    Compatibilidade com Vista: Desconhecido
    Requisitos de Sistema: 256 MB RAM; DVD
    Idioma: Inglês e Russo

    Conteúdo:
    * Alkid Live CD USB Full;
    * SLAX 6.1.2 Russian;
    * Acronis Backup Recovery 1910 Workstation 1910 Russian;
    A imagem original do Windows XP Professional SP3 MSDN VL X86 da Rússo;
    * DriverPack Solution 1910 Professional.

    Links para Download:

    http://www.fileserve.com/file/Vqvdnwe/BOOTNOVA.part01.rar
    http://www.fileserve.com/file/W3Vpyqc/BOOTNOVA.part02.rar

    http://www.fileserve.com/file/B7dArQ7/BOOTNOVA.part03.rar

    http://www.fileserve.com/file/A8HVC7D/BOOTNOVA.part04.rar

    http://www.fileserve.com/file/xKXtJSU/BOOTNOVA.part06.rar

    http://www.fileserve.com/file/8cd2XJD/BOOTNOVA.part07.rar

    http://www.fileserve.com/file/DgxCttW/BOOTNOVA.part08.rar

    http://www.fileserve.com/file/5sUQDPz/BOOTNOVA.part09.rar

    http://www.fileserve.com/file/7gCBbcE/BOOTNOVA.part10.rar

    http://www.fileserve.com/file/XbNfhxS/BOOTNOVA.part11.rar

    http://www.fileserve.com/file/6nbJ8SX/BOOTNOVA.part12.rar

    http://www.fileserve.com/file/Ym8MtFc/BOOTNOVA.part13.rar

    http://www.fileserve.com/file/84sVZ65/BOOTNOVA.part14.rar

    http://www.fileserve.com/file/R42ys4s/BOOTNOVA.part15.rar

    http://www.fileserve.com/file/kMQYFNb/BOOTNOVA.part16.rar

    http://www.fileserve.com/file/4SRuYbt/BOOTNOVA.part17.rar

    http://www.fileserve.com/file/WmG3H9B/BOOTNOVA.part18.rar



    Senha de Descompactação: http://www.downloadfree.net