domingo, 28 de fevereiro de 2010

Happy Together

Любовь...


Любовь...


Любовь...


Любовь...

Muuuito Doido


Download

Impossível!!!

sábado, 27 de fevereiro de 2010



































Um filme épico para Ateus mas que todo religioso deveria assistir.

Sinopse: Drama histórico situado no Egipto romano, onde um escravo – Davus – que, durante a expansão do Cristianismo, persegue a esperança de liberdade, enquanto, em simultâneo se apaixona pelo seu mestre, a famosa professora de filosofia, Hypatia de Alexandria.
Filme de A lejandro Almenábar diretor de “Os Outros” e “Mar Aberto” com a oscarizada Rachel Weisz , tem uma premissa interessante e um prato cheio pra quem gosta de épicos.

Download Filme (Coloque o código numerico e aguarde 20seg para o link de download aparecer)
Download Legenda

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Livros para uma vida

O que ler dos 2 aos 18 anos para ter uma ótima formação e chegar com boas referências à vida adulta.

Dezoito educadores selecionaram 204 obras essenciais para serem lidas do Ensino Infantil ao Ensino Médio

Clique na imagem, se abrirá em modo ampliado, selecione um ano e em seguida o mês, verá que livro está indicado.

Um arquivo muito bom para educar.





sábado, 20 de fevereiro de 2010

O Apanhador no Campo de Centeio


O assassino de JJohn Lennon (Mark Chapman) pediu a ele que autografasse uma cópia de The Catcher in the Rye, e no mesmo dia o assassinou. O assassino de Kennedy, também lia esse livro, como o personagem de "Teoria da Conspiração", seria um livro para pessoas instáveis e violentas?

Washington Olivetto -
um dos maiores publicitários brasileiros - tem em sua casa dezenas de exemplares de The Catcher in the Rye para presentear amigos e conhecidos. Seria leitura para para pessoas criativas e generosas?

O que tem de extraordinário este The Catcher in the Rye (no Brasil, O Apanhador no Campo de Centeio, editado pela Brasilivros - compre), obra máxima de J.D. Salinger, que atrai legiões de admiradores dos mais diferentes perfis e é cultuado nos mais diversos círculos.


Jerome David Salinger, o autor, é uma figura estranha. Nascido em 1919, desde sempre foi avesso à imprensa ou outras formas de divulgação da sua figura, tornando-se paranoicamente recluso. Ainda na época do lançamento de The Catcher in the Rye, na década de quarenta, fez o seu editor prometer que não lhe enviaria quaisquer críticas que fossem publicadas sobre o livro. Reclamou também que a sua foto na contra-capa estaria muito grande. Solicitou que não fosse feita qualquer publicidade do livro aludindo à sua pessoa, alegando que não queria correr o risco de acreditar no que leria.

O que faz com que um livro narrando acontecimentos quase banais, ocorridos com um adolescente que não tem nada de extraordinário, transforme-se na mais acurada e sensível crônica da juventude deste século? Só os espertos que chegaram a ler O Apanhador no Campo de Centeio, do escritor americano J.D. Salinger, é que podem dizer com certeza. Prestes a completar 47 anos de publicação - surgiu em 1951, antes mesmo dos pais da maioria de vocês nascerem - a novela de Salinger é não só uma das mais marcantes obras da literatura norte-americana contemporânea; é também um marco na longa estrada que os jovens trilharam (e ainda trilham) para provar que têm direito a uma voz e uma visão de mundo próprias.

É bastante possível que você nunca tenha lido O Apanhador. No entanto, se você tem um mínimo de "antenidade" com o mundo que o cerca, muito provavelmente já leu ou ouviu alguma alusão ao livro no cinema, em jornal, revistas ou em outros livros. O fato é que este singelo romance de 1951 virou lenda ao longo dos anos, e fez de seu autor, Jerome David Salinger, um dos maiores mistérios da história recente da literatura. A pequena revolução que O Apanhador causou no comportamento da juventude americana - e por tabela, no comportamento da juventude do mundo todo - ecooa até hoje, fazendo parte da cultura da segunda metade de nosso corrente século.

"O Apanhador no Campo de Centeio" conta um final de semana na vida de Holden Caufield um adolescente de 16 anos que após ser expulso da sua terceira escola bem às vésperas do natal, nos Estados Unidos do pós-guerra. resolve voltar mais cedo para casa. Caulfield vai revelando, aos poucos, algo sobre o seu passado, sua família e seus conhecidos, ao mesmo tempo em que vagueia por Nova Iorque pulando de uma encrenca para outra. E, para alguém entediado e deprimido como ele, nada melhor que uma encrenca para manter o interesse.

Download de "
O Apanhador no Campo de Centeio" em PDF

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Nova cara do Real



O Banco Central do Brasil lançou nesta quarta-feira (3/2) as novas cédulas do Real. As notas de R$ 50 e R$ 100 começam a circular já no primeiro semestre deste ano e as notas de R$ 2, R$ 5, R$ 10 e R$ 20 serão trocadas gradualmente até 2012.

Entre as novidades, as cédulas conterão itens de segurança mais sofisticados e novo layout, com destaque para as de R$ 50 e de R$ 100, que terão as atuais figuras de animais na horizontal e em imagem tridimensional. Além disso, as notas passam a ter tamanhos diferentes de acordo com o valor, a nota de R$ 2 será a menor, e a de R$ 100, a maior.

Elas também terão recursos gráficos mais sofisticados contra falsificação. Foram mantidos os elementos que já existiam, como a marca dágua, e outros foram redesenhados. As novas cédulas de real também atendem à demanda dos deficientes visuais e terão tamanhos diferentes e marcas em relevo que facilitam a identificação tátil.

____

Estão bonitas, mas não gostei de serem de tamanhos diferentes.

!!!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Parabéns Branquinha - Com ver sam

Idyll - William-Adolphe Bouguereau

Alegre, pelo tino convertido.
De bruxa ou não, o feitiço teu
Ergo nas mãos o peito concedido
Pelo conforto dado ao cansaço meu

Na teia de teus cabelos me enrosco
E sirvo o guia que o olho torna
Pela fronte que contrasta com o fosco
Sentindo no hálito, fragrância morna

Dos sabores, a boca inebriante,
Deslizo no pescoço que acalento
Agarrando ombros como infante
Que nos seios encontra alimento

Nos quadris enterro o desejo
Pelo ventre passeio figurado
De joelhos me coloco ao ensejo
Nas coxas o beijo consternado

Se aos pés prostrados como servo
Pelo amor que vence o vencedor
Na tua cor a pureza que em verso
As ideias que converto a teu favor


(miliano)
[botticelli_birth_venus_2.jpg]


Ainda te vi
Como imagina que eu a quero
O tempo já finda
Desespero,
Você fica assim
Pensando no tempo
Em tua cor de marfim
Contento
Você deixa
Tranquilo o ser
E a beleza se queixa
Ao te ver
A minha carne
Cobre um sopro novo
Ainda não é tarde
Eu, um polvo
E fica imitando Deus
Me dando sopro
Eu no corpo teu
Como polvo
"Ainda não é hora...?"
Da música?
De ir embora...
Mímica.
E o tempo nem existe
É um teu talento
O ponteiro não assiste
É o meu alento
Só na hora de ir
"Ainda não é hora..."
De sair
Do tempo é senhora
Fico te vendo.
Roubando minh'alma
Vôo como vento
Me pedes calma
E linda, e sorrida, e nervosa.
Sinto, fico, e olho.
Ainda não é hora
De ir embora!
E ficamos sem querer ir.
Eu, benevolente.
Tranquilo.


(miliano)





[Biblis]


Ela tem um sorriso que vale uma vida,
Estar com ela me acalma,
Ela me faz querer ser uma pessoa melhor.
E é justamente quando estou sem palavras que 
eu digo o que sinto.

Bom dia! Sim, acordei bem, do jeito que você tem me feito acordar.
Mas a noite não foi tão boa, você não estava... Minto! Ela foi maravilhosa!
As horas que eu tive com você, quase me fizeram ter as outras compensadas.
E não o foram, porque nada compensa você não estar.
Mas se está...  ah... discompensa! O coração discompassa!
E dormi como um anjo, como o anjo safado, que me olha pela fresta do olho
ao perceber que eu, diabo o possuo.
E dormi como um justo, que tem na sua mulher o alvo de todas as manhas, volúpia, taras e vontades.
E lembrei de você no primeiro segundo que voltei a ver o mundo, como se tivesse nascido ali
e precisasse do ar da tua imagem.
Aí fiquei lá, fazendo filme na cabeça.
Atriz principal, reli cada pedaço que explorei no calor da boca, na ponta da língua, no curioso olhar, no
atrevimento das mãos; ouvi cada suspiro, música! Redesenhei cada sorriso, percorri cada curva.
E quero mais, do ar, do sorriso, do cheiro, da curva, do olhar, da manha, do desejo, da boca...
Saudade.

miliano

















Com seus ouvidos de bela,
Ouve-me declarar.
De um forte, mas sonhador,
Que dobra uma janela,
E aço pra almoçar,
Mas é de teu sorriso, pescador.

A beleza de uma Musa,
Sob tua face se desfaz.
Se está embaixo do meu peito,
Que ela brilha ainda mais.
Aumento meu conceito, 
Guardo elogio numa eclusa.

Se haqui dentro anjo belo,
Que te mostro com o carinho,
E sorrindo sorriso amarelo,
Dou palavras desse ninho,
Ousado não devia ser,
pra dizer gostar de você.
No veneno irracional,
que no desejo animal
transforma anjo em diabo.
Explode de sopetão,
E carece com estribo,
Tornar a besta em cristão.

Antes, não há fera so em mim,
Que aparece vez em quando.
Mas nos teus lábios de carmim,
Que vejo está guardando!
A face afetiva, efetivamente carinhosa,
Espanca cruel e devora desdenhosa...

Bela, aparente bela!
Aprisiona em si
horripilante fera.
Lobo bom e lobo mal
Lutam dentro de ti.
Que animal será cabal?
O que mais alimentado!
E o ardiloso guerreiro,
Heretica fera,
Anticristo icorporado...
Curvando-se para uma deusa,
Que o guarda enjaulado.

(miliano) 





Download

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Taxilunar Music 5

As músicas postadas no site, mais recentemente num único arquivo para baixar.

Título do Album: Taxilunar Music V
Ano: 2010
Gravadora: Você S/A
Gênero: Soundtrack / Rock / Pop / Blues
Qualidade: LAME 3.97 / -V2 –vbr-new
Bitrate: 196 Kbps / 44.1 KHz / Joint Stereo
Tempo total: 94:41 min
Tamanho: 91mb


Lista:




A TEORIA DA AÇÃO COMUNICATIVA DE J. HABERMAS

Por Inês Lacerda Araújo










Um bom trabalho.
Download

O homem da lama

Acorda todo dia pra se atolar
Na fábrica chamada manguezá
Ele, o homem do caranguejo-uçá
Seu relógio é a maré e sua persistência a fé
Pra catar o bicho
Que anda de marcha a ré
Numa verdadeira batalha
Com a mão ou com o pé
Nessa jornada sem fim ele nem imagina
Que esteja tudo tão ruim
E olha pro seu amigo caranguejo
E diz assim:
O que aconteceu
Com o mangue meu e teu?
Ó meu Deus...

(Valdemar Vergarta Filho)

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Armas

- Qual a mais forte das armas,
a mais firme, a mais certeira?
A lança, a espada, a clavina,
ou a funda aventureira?
A pistola? O bacamarte?
A espingarda, ou a flecha?
O canhão que em praça forte
faz em dez minutos brecha?
- Qual a mais firme das armas? -
O terçado, a fisga, o chuço,
o dardo, a maça, o virote?
A faca, o florete, o laço,
o punhal, ou o chifarote?
A mais tremnda das armas,
pior que a durindana,
atendei, meus bons amigos:
se apelida: - a língua humana.

Fagundes Varela